terça-feira, 28 de outubro de 2008

"Confissões de uma amadora"

Eu sou uma amadora pois ainda não consegui dominar a arte de amar! Sempre que me atrevo à essa aventura o resultado é sempre o mesmo, o oposto...a DOR!Sinto a dor e o amor de um amador, pois, ainda não sendo uma especialista, entrego-me de tal maneira que o que me resta não podia ser diferente, dor de amor, dor de cotovelo, dor por ar demais, dor por não saber amar, amor que dói, que entranha, que me faz perder os sentidos...sempre ..sempre....amar para sempre...no fim dói desde a alma até o dedinho do pé! Então me recomponho...a dor me fortalece de tal maneira que sigo em frente...quando chego ao limite...acontece o novamente, e é segundo esse ciclo que vou vivendo sempre em frente, a cair e levantar várias vezes seguidas, mas marcada pelos prazeres que só um primeiro beijo mas apaixonado do mundo pode causar, experimentando várias vezes na vida o coração palpitar e os olhos a brilharem ao se depararem com o 1º amor de verdade. Me fortalece aquele frio na barriga quando vejo ao longe aquele que eu amo. Sou uma amadora, mesmo por amar a dor,que se sente unicamente com quem se entrega...se deixa levar, se perder...se permitir...
só quando esqueço de tudo e de todos, inclusive de mim é que me sinto plena, pode ser loucura, psicose, digam o que quiserem, mas eu me dou, por inteira,plenamente, fugazmente...
não m julguem, me sintam deixem-me fluir...deixem-me uma das últimas resistentes daquele sentimento cada vez mais esqecido, mas a cada dia mais necessário!

1 comentário:

Mariana Araújo disse...

Não sei se intencionalmente usou o termo amadora, mas sendo uma vez amadora na arte do amar, não poderia estar mais preparada. Amador, no sentido de iniciante, é aquele que ainda insiste em aplicar alguma lógica aos sentimentos e os pesares. Posso dizer com categoria que sei amar, pois ninguém nesse setor há de ser no mundo tão desconexo, contraditório e inexplicável quanto eu.
(me aflinge não conseguir perceber se isso é mesmo algo bom)